Conto Eróticos

64% 28 voto(s)
Conto Eróticos Mãe e filha em videos Porno incesto em família. Mãe gostosa ensinando sua filha novinha a transar com seu irmão dotado, ensinando filha fuder.   Quem teve melhor do que o Jeff? Este estaria disposto a enfrentar todos e cada um dos adversários se tratasse de uma guerra de estilos para toda a vida. O finalista do Liceu tinha 18 anos. Vejamos atualmente, por ex: este frequentou a local de ensino, foi ao treino de pelada onde era a segurança de uma equipa que possívelmente competiria por um aberto estatal, este não tinha contas ou preocupações reais na vida. , oh sim, este tinha uma muito bonita morena a oscilar para cima para inferior na pila.   Este descobriu Abby-que foi referida como Abigail por o mundo inteiro, a não ser este mesmo, em uma sarau na piscina durante as trégua de Verão. Demorou duas horas, porém este por último atirou-se a ela. Ei, YOLO, correto? Este prometeu a si se bem os seus dias de não invitar raparigas para trespassar tinham concluído. Este tinha um fraquinho pela Abby a partir de que estavam na mesma lição de álgebra no 9º ano, porém bem como todas e cada uma das suas paixões precedentes, este nunca a convidou para transpor. Alguma coisa lhe tocou naquele muggy June day no quintal do Chris Bocchetti. Foi ver os colegas dele a namoriscar com as suas paixões? Ou talvez fossem todos e cada um dos biquínis que estavam em exibição para os adolescentes abastecidos de testosterona? Seja o que for, por motivo de Deus que alguma coisa por último o acordou.   A Abby era a rapariga dos sonhos dele. Ela tinha 1,70 m de fundura, cabelo castanho longo ondulado olhos castanhos claros que estavam continuamente a sorrir. Aqueles olhos de corça eram tão convidativos reconfortantes. Ela era um monte de pujança positiva que o punha constantemente de exultação. Se este teve um dia de merda, um fácil sorriso da namorada tornou tudo melhor. Se este estava doente, um aliviou a febre. Lógico, este só tinha 18 anos, porém a teoria de passar o resto da vida com esta rapariga era uma possibilidade.   "Sabe tão muito..."   Demoraram 2 meses a conceder aquele salto gigante juntos. Eles eram os dois Virgens: Abby uma noviça completa se tratava de coisa sexual, Jeff tendo recebido somente um broche de uma cheerleader durante uma sarau de bola do décima ano. Os 2 decidiram ir lentamente. Uma semana de namoro se passou de antemão de eles compartilharem seu primeiro ósculo, 15 dias de antemão de eles começarem a curtir, um mês para Abby deixar que este a apalpasse, 2 meses de antemão de sua primeira tentativa de sexo verbal. Porém molharam os pés, decidiram gratificar o tempo extraviado.   Este sentiu-se como uma Estrela Porno nos últimos 30 dias. é que este não estava a ser chupado? O libido sexual da Abby era de loucos, por último tiveram relações sexuais pela primeira vez há três semanas, as coisas ficaram sobrecarregadas.   "Chupa-me os tomates."   Transportar-se. O Jeff ainda estava à espera que alguém justificasse que a sua vida fosse melhor do que a dele. No sofá, na sala de família dos pais da namorada, com a rapariga dos sonhos ajoelhada primeiro dele no soalho, os tomates na boca dela, conforme o seu . Este sentia-se uma estrela de rock. Só que este não precisava nem queria uma fileira de simpatizantes Todas e cada uma das noites. Este queria uma rapariga, felizmente para este, ela também o queria.   A Abby fez uma pausa na sua tarefa para olhar para o namorado. "Estou muito?"   Este só conseguia sorrir. Aquela regularidade infantil quando ela gostava de falar durante o sexo estava a fazer a pila dele palpitar. Esta rapariga era um criancinha.   "Tão bom", diz este. "És tão atraente."   Ela mostrou-lhe as pestanas longas escuras. "Obrigado, Papá. O meu trabalho é fazer- sentir muito."   Este nem mesmo começou a merda do papá! Foi tudo ela! Vês como a vida dele era fantástica? A namorada sensual dele estava constantemente a referir-se a este como "pai". Benefícios de ser este continuavam a surgir.   A Abby tinha um requisito durante o sexo vocal: o Jeff tinha de despir a camisa. Como não deve ser essa a exigência dela? O namorado de 1,80 m, cabelo castanho, olhos castanhos, era um pastor! Este era todo musculoso. Armadilhas grossas, ombros largos, abdominais definidos bíceps grandes. Este estava a ser vigiado por várias faculdades, porém ela não era uma caçadora de camisola. Ela nem estava obcecada com o corpo dele. Ela adorou? Absolutamente. Foi uma fragmentação conforme? Nem meditar. Foi a dele que a deixou louca. a a boa fisionomia parecem caminhar de mãos dadas, não é? Quanto melhor olhares, melhor sentes. quanto melhor sentires, mas esperançoso estás.   Todos e cada um dos dias juntos faziam-na apreciá-lo mas. Este era tão divertido, inteligente bom para ela. Ela sabia como eram a maior parte dos rapazes da local de ensino, estava bastante familiarizada com os namorados que as amigas tinham. Digamos que a Abby ganhou o jackpot. O namorado amoroso, sensual gentil dela era o classe perfeito.   Porém por mas loucos que fossem os broches, sexo Conversas porcas, era receita como a namorada dele gostava de ser enredo que mas surpreendia o Jeff. Naturalmente, ela gostava de gestos românticos, ela adorava este a surpreendia com flores ou planeava um piquenique no parque. Massagens profundas no ombro lutas longas com a moleira enterrada entre as pernas foram possívelmente as suas segunda terceira coisas favoritas na lista, porém chegar em primeiro lugar com uma projéctil, sem um reptador à vista, foi este assumiu o controle dominou-A.   Tinha encetado com o mas ligeiro de bombas na boca dela durante um broche. Foi difícil não tentar. Este passou os últimos sete anos a ver pornografia. Este não tinha pretensão de fazer a mordaça, ou sufocar, ou alguma coisa deste modo, porém o libido de estar no controle era alguma coisa que este queria testar. ela olhou para cima, sorriu diz-lhe para o fazer outra vez? Este sabia que tinha lucro a lotaria.   "Vais degolar-me?"   Ela começou a plantar beijos ao longo do seu pau. "É isso que o papá deseja?"   "Sabes que é o que o papá deseja."   "Talvez o papá devesse levar o que quisesse", ela sorriu-lhe.   As mãos dele alcançaram-se aos lados da moleira dela empurraram-na para grave.   2: aceitar vocal é incrível. Ela não precisava da net para isso. Alguma coisa lhe diz que o Jeff tinha oferecido qualquer tempo de qualidade para ler sobre a arte do cunnilingus. A sua língua inacreditável podia levá-la a lugares que ela não sabia que existiam. o que este fez com os 2 dedos dentro dela? Este diz-lhe que estava a afagar o quesito G. O que almeja que fosse, ela estava pronta para matrimoniar com este todas e cada uma das vezes que este o fazia.   Terceiro: sexo violento deve ser ainda mas incrível. Ter o cabelo puxado, o rabo esbofeteado o pescoço ligeiramente apertado eram sentimentos indescritíveis de Submissão. Ela estava tão descoberto sob enorme possante impacto de seu namorado rufião, seu corpo parecia se converter em gosma ela experimentou essa sensação de desamparo. Foi preciso a sensação de estar dominada para ela se caminhar durante a relação sexual, bastante para sua surpresa, isso foi outra coisa que a net lhe diz que a maior parte das mulheres não poderia fazer.   Quatro: isso a apanhou mas desprevenida, era Jeff tinha uma pila muito extensa. Como ela ia descobrir? Ela nunca foi observadora de pornografia. A superior pornografia que ela fez de antemão de namorar com o Jeff foi erótica. Na realidade, a exclusivamente razão pela que ela andava a ver "x-Rated filth" ultimamente foi para consertar poucos truques novos para surpreender o namorado dela, porém perceber que este se encaixava bastante muito os melhores filmes de Porno Valley foi chocante. Porém chegou mesmo a moradia a melhor amiga dela, Kate, lhe mostrou uma imagem de Pila que tinha recebido de um gênero de que tinha publicado na praia. Empalou em verificação com o que seu namorado estava trabalhando, Kate esmolou para ver uma imagem de Jeff uma vez que ela fez um glosa sobre a diferença de tamanho, seu camarada unicamente confirmou o que ela já sabia. Kate ofegou, respondeu com "puta sortuda", Abby tinha um extensa sorriso em seu rosto para o resto do dia. Ela foi mesmo uma cabra sortuda.   agora estava na fundura de mostrar ao namorado a sorte que este a fez sentir. A Abby relaxou-se admitiu que o possante segurasse a sua Pila pela gorgomilos . Foi um deslizamento de integridade sem dedicação. Os lábios dela encontraram-lhe a virilha, o nariz pressionado o embaraço pélvico, ela estava submissamente a levar o varão todo, que nem a rapariga do papá devia.   A goela pulsante dela a zoar - lhe na pila transformou-lhe as pernas em geleia. lhe acariciou o ego como ela o fez. Este não era um idiota dominante que precisava de uma senhora que o admirasse. Também não era um chauvinista que pensava que as mulheres pertenciam à cozinha. A Abby era talentosa, carismática bastante mas esperta do que este, porém este é um varão. como varão, gostava de ter o controlo. como senhora, sexualmente, a Abby começou a sujeitar-se a este. Eram iguais.   A mão direita dele saiu da testa dela achou os tomates dele. Este levantou-os viu a língua dela a guerrear para trespassar da boca dela. Lenta porém seguramente conseguiu chegar aos testículos dele, onde começou a lambê-los com a pila ainda enfiada na goela dela.   Isto foi o firmamento. Era o simples. O que deseja que isto fosse, poderia ser melhor do que este instante. Este amava esta rapariga. Este amava-a tanto que ia ser um idiota...   A mão dele deixou desabar os tomates , em vez disso, moveu-se para o nariz dela. O polegar o indicador não perderam tempo a apertá-lo.   A Abby amordaçou-se instantaneamente.   A carola dela tentou recuar, porém este manteve-a no lugar. Esses gentis olhos castanhos piscavam repetidamente como uma lágrima escorria do esquina do olho recta corria pela bochecha.   Este não relaxou.   Ela amordaçou outra vez um grosso pedaço de cuspo explodiu da boca dela acabou no queixo. Conseguia sentir o lodo a pingar nas coxas, porém não estava a adoçar. Em vez disso, empurrou com mas força.   A dominância estava a satisfazer a submissão. Um gênero de que gostava de monitorar tinha uma rapariga que vivia para ser detida ao seu alcance. Estavam a explorar novos limites juntos.   Cada vez mais seiva derramou da boca dela de antemão que este por último soltasse o seu aperto. Ela de forma imediata se precipitou para trás, consentindo que seu ar privasse os pulmões da maré de coletar o espaço que eles desesperadamente precisavam.   Jeff olhou para as coxas que estavam cobertas pela baboseira da namorada. ela se virou para olhar para este, sua t-shirt escarlate clara tinha uma sujeira de baba por toda a na frente de. Foi teso, confuso, justamente como este gostou. A Abby não ficou bastante contente...   "És um idiota!"   O sorriso que rápida lavou seu rosto ajudou a atenuar suas preocupações. "Tu adoras."   Não havia como negar isso. Esses quinze segundos de não conseguir respirar era alguma coisa que ela nunca tinha ladino de antemão. Seus verdadeiros sentimentos estavam localizados sob seus calções de ganga em suas calcinhas rosado: eles estavam encharcados.   "Adoras engasgar- na minha pila, não é?"   Ela olhou para o lado. "Talvez..."   "Quem é a putinha do papá?"   Ela mordeu o lábio subalterno de antemão de olhar para o rufião sentado primeiro dela. "Estou."   "Mas elevado", exigiu este.   "Sou a putinha do papá!"ela gritou. "Sou a tua putinha!"   "Você certamente—"   "Sufoca-me outra vez!"ela interrompeu freneticamente. " belisca-me o nariz também! Não largues até eu na perna!"   Este estendeu a mão agarrou - lhe duas mãos de cabelo Trigueiro de antemão de fazer um pequeno ramal. Em vez de lhe espetar a gorgomilos na pila outra vez, este puxou-a para mas perto beijou-a.   A Abby deve dirigir-se-se agora mesmo se tocar no clítoris. O que era aquilo que o pai dela lhe diz ela era mas novidade? Sobre localizar um classe de sucesso que lhe pudesse entregar uma boa vida? Que se lixe. Ela não sabia se o Jeff acabaria por lucrar seis dígitos ou seis milénio dólares, ela não se podia importar menos. O namorado amava-a, respeitava-a sabia rigorosamente como ela gostava de ser tratantada. Ela ia mesmo passar isso tudo por uma moradia de descanso em Florida Keys? Lógico que não. Outra rapariga podia usufruir da praia. A Abby estaria excessivo ocupada a engasgar-se na pila do varão.   Havia uma guerra na sua psique. Continuar a oscular o varão que ela adorava, ou retornar à Pila que ela amava? A luxúria ganhou desta vez ela rompeu o deles enrolou os lábios à girata da moleira da sua masculinidade. Momentos depois, o nariz dela achou os pêlos púbicos aparados pela segunda vez esta noite.   A namorada dele tinha um limite? Constantemente que este pensava que se aproximavam do ponto e ponto final do que a Abby conseguia mourejar sexualmente, ela passava por cima dele. Cinco segundos velozmente passaram para 10. de antemão que este desse então, 10 transformaram-se em vinte. Vinte segundos de unicamente a mínima respiração autorizando que o espaço passe para a boca problema oportunidade. Esta rapariga era outra coisa.   "Estás muito?"   Ela respondeu balançando seus punhos em suas coxas para reclamar desafiadoramente pretensão de . A Abby fez o seu melhor para o esconder, porém era do classe ciumenta. embora ela nunca deixasse o namorado ver pornografia, ainda a incomodava o facto de este o ter conformado. Ela queria ser a rapariga em mente dele 24 horas por dia. Ela trabalhou bastante no ginásio, porém não era uma miúda porno com 8% de adiposidade corporal mamas grandes falsas, secção dela não podia de ter inveja daquelas raparigas. Era mesmo isso que o Jeff queria? Todos e cada um dos elogios gestos doces eram somente um substituto até este localizar uma namorada melhor?   A bajulação dele era sincera, logo porque é que ela duvidava da relação deles? Ela precisava de observar os ciúmes. De fato, ela precisava mesmo de respirar.   Os nervos do Jeff estavam em subida este viu os seus cativantes olhos castanhos começarem a vanescer. Os pedaços de seiva que tinham derrubado dos lados da boca estavam agora unidos por um fluxo estável de seiva. Ela estava a babar-se como um bicho esfomeado. A mão dele começou a alargar-lhe a moleira de antemão que este pensasse melhor se fechasse de novo. Este não queria matá-la, porém concomitantemente, este não desejava mas do que conceder-lhe o que ela desejava: ser dominada.   A gorgomilos dela estava a lavar vaga depois vaga de felicidade vibrante sobre qualquer centímetro da Pila dele. As pulsações estavam a permanecer mas fortes à proporção que ela se agarrava à consciência. O seu pequeno nariz de botão pressionado o embaraço pélvico representava alguma coisa mas possante do que o prazer. Representava .   A mente da Abby estava a estrear a vaguear. A mas fácil das recordações transformou-se turva. Quando quarto ela estava se tornou um jogo de adivinhas. Por Mas que quisesse sustentar, não conseguia mas.   Ela por último bateu - lhe na coxa.   Jeff urgentemente soltou seu pulso de sua carola estendeu a mão para reprimir sua namorada em pé. Ela rápida ansiava por respirar este confortava o seu corpo fraco. Seus olhos castanhos distantes desbotados progressivamente voltaram à vida. Qualquer segundo que passava resultou em animação mas vívida para surgir em seu rosto belo. Momentos depois, a namorada dele estava de girata.   "Meu Deus..."   O sorriso dele não deve ser maior. "És incrível."   "Fiquei lá tanto tempo!"ela excitadamente diz-lhe. "Como uma boa moçoila!"   "És bastante boa—"   Ela olhou curiosamente para semblante linda do namorado. Tudo sobre o seu nariz poderoso, maxilar entalhado cabelo ondulado gritava masculinidade. nem comeces com essa classe de barba negra que este possui alimentado nas últimas semanas! Foi o suficiente para a pôr de joelhos. Porém a preocupação no rosto dele era o seu foco principal. Porque é que este se cortou a meio da oração?   "Passa-se algo?"   Este trouxe o dedo para os lábios sussurrou: "Shhh."Alguma coisa lhe chamou a atenção, porém este não conseguia fixar nem mais nem menos o quê.   Ela esperou silenciosamente com este pelo que parecia horas de antemão de saltar para os seus pés. Não havia miragem nenhum naquele estrondo. A porta da garagem estava a penetrar ou a tapar—de preferência a primeira.   "Está tudo de girata ao normal!?"ela perguntou, seus olhos girando à volta da sala de família em fobia.   Os olhos de Jeff seguiram um caminho semelhante este correu para se tapar aconchegou sua ereção de pedra na cintura de seus calções de basquetebol. Parecia estar tudo muito para este. Este recuperou o comando aumentou o volume da televisão silenciada. Abby rápida pegou o controle de suas mãos achou um filme. Perfeito. Este só vinha para trespassar, eles estavam a ver um filme juntos, tudo era simples. de broches ou deprimente a suceder cá...   O som das chaves a do lado de fora da porta ligada à garagem fez com que ambas ficassem tensas. Alguma coisa ainda me pareceu estranho. Parecia que se estavam a olvidar de um pouco.   "A tua camisa!"   Como ela quase perdeu isso? Por motivo de Deus que o namorado era mas cientista do que ela, porque a na frente de da T-shirt roxa estava uma confusão de seiva Baba. Ela saltou para os pés subiu para cima a porta se abriu.   Passos velozmente se aproximando substituíram os sons de sua namorada correndo para o seu quarto. Este olhou para a ingresso da sala da família mesmo a tempo de ver o Sr. P entrar abruptamente, de antemão de passar por este ir para cima sem sequer reconhecer a sua presença.   Muito, isso resumiu a relação dele com o pai da Abby.   O Jeff entendia a relação que tinham. Este também não culpou o Sr. P. O Jeff andava a saborear a filha, tinha a que o Sr. P não queria que isso acontecesse. Este seria o mesmo se fosse pai de uma filha sexualmente activa. Porém talvez o Sr. P não soubesse que estavam a fazer sexo. O classe parecia bastante distraído. Na realidade, este era mas idiota do que coisa. Este constantemente foi infeliz. O classe não era jocoso, carismático, ou mesmo belo. Este era um varão magricela com 40 anos, careca, com óculos grandes pretos emoldurados—não os da garupa também, este tinha absolutamente nenhum siso de estilo. As calças de vestido bege, o botão azul-marítimo de manga curta em camisa, a combinação de gravata que este passou por este certamente provou isso.   Seu olhar irritado rápida virou um sorriso. Clack...clack...clack. Era o som de saltos altos! este sabia o que isso significava. seu. P!   Por mas que o pai da Abby parecesse odiá-lo, a relação dele com a mãe dela era o oposto. A sô. P amava-o! A Claire era simpática, simpática estava continuamente a rir. Quantas vezes ela lhe diz que este devia ser comediante? Ou ela mencionou inocentemente a teoria do Sr. P ir ao ginásio com este? Não correu lá bastante muito. Havia duas raparigas que o Jeff queria namorar no planeta: a namorada, se as coisas corressem problema na relação hodierno, este não estaria de convocar a seu. P.   A carola dele virou-se ao passo que as pregas na madeira cresciam mas elevado. A levantamento dele estava a latejar outra vez. Este nunca a tinha visto de saltos altos!   depois o Jeff perdeu o fôlego.   Há cerca de grandes mistérios na vida: Stonehenge, o alfarrábio de Voynich, o que verdadeiramente acontece na Extensão 51, como o caralho do Sr. P conseguiu se matrimoniar com a diva que este estava olhando presentemente.   Por onde estrear? Que tal com esses saltos? A plataforma branca bombeia saltos com correias de maléolo, o que fez com que os cinco centímetros de elevação ainda mas provocantes. Os olhos dele subiram-lhe as pernas suaves bronzeadas continuaram a marchar. Seus bezerros tonificados foram o precursor perfeito para uma aparentemente interminável quantidade de pele exposta. Quão limitado era este vestido? A luxúria dele passou pelos joelhos dela de antemão de sentir o corpo a tremer. Aquelas coxas musculadas estavam à mostra! Ela parecia estar constantemente a ir ou a retornar do ginásio, as calças de yoga apertadas que ela gostava de utilizar mostravam definitivamente o seu corpo mas insignificante, este nunca tinha estado a par de um programa como este de antemão.  

Conto Eróticos

Tags: , ,

Categorias: Incesto Grátis

Vídeos porno relacionados

Mais vídeos